Trade Marketing para serviços: entenda como funciona

Trade Marketing para serviços: entenda como funciona

Quando pensamos no conceito de trade marketing, normalmente, a primeira coisa que vem à mente são os PDVs, como farmácias, restaurantes e mercados, lojas que vendem os produtos de forma presencial, digamos assim. 

Mas, você sabia que o trade pode ser aplicado para a prestação de serviços?

Continue lendo e saiba mais!

O que é o trade marketing?

Para começo de conversa, é importante frisar que o conceito de trade marketing está em constante mudança. Poderíamos definir o trade de várias formas, já que suas ações estratégicas são alinhadas de acordo com as necessidades do planejamento feito pelo time da sua empresa.

Mas, basicamente, o trade marketing é o conjunto de ações focadas no contato entre os consumidores e a sua marca, por meio dos canais de distribuição. 

Ele representa os esforços feitos para impulsionar as demandas de vendas para o consumidor final, com uma estratégia B2B (business to business), ou seja, de empresa para empresa.

E essa estratégia nada mais é do que incentivar a compra de um produto por parceiros da cadeia de distribuição e gerar demandas e ofertas constantes para os consumidores.

Afinal, como aplicar o trade para serviços?

Como o trade marketing pode ser aplicado na prestação de serviços?

O trade marketing, quando colocado em prática junto às áreas de marketing e comercial, pode ser aplicado para além dos PDVs, na rotina de prestadores de serviço.

Pense em locais como agências de viagens, postos de combustível, empresas de telefonia móvel, por exemplo. Como você acha que o trade marketing poderia ser aplicado para estes serviços?

A busca por profissionais de trade marketing por parte de empresas prestadoras de serviços vem aumentando, mas, na maioria dos casos, elas acabam encontrando algumas dificuldades.

O profissional de trade marketing voltado para área de serviços têm algumas responsabilidades, como identificar oportunidades e tendências do mercado, verificar como a concorrência está trabalhando com as suas ações, cuidar do calendário de operações e controlar ROIs de planejamentos logísticos.

Em um mercado cada vez mais competitivo, é premissa para o trader conseguir fidelizar seu shopper, pois é a chave para garantir que a sua empresa tenha sucesso. Na área de serviços, esta tarefa é mais complexa.

Nesta área, ao invés de simplesmente vender um produto para o consumidor, é preciso agregar valor ao serviço oferecido, além de criar todo um laço com ele antes, durante e depois da tomada de decisão.

O que o cliente ganhará ao fechar com a sua empresa e não com a concorrente? Quais são as vantagens que você pode oferecer para ele? Nesse tipo de negociação, o preço não é o fator mais importante.

E, além de se desvincular desta ideia, é preciso considerar tudo o que você pode oferecer também, antes de prometer. Não apenas no momento da compra, mas antes e depois da ação também!

Foque na experiência do shopper

Surpreender no atendimento é essencial para que os prestadores de serviços possam garantir uma conversão futura do consumidor. Fuja do que é senso comum e vá além do que a maioria das prestadoras de serviço oferecem.

Um exemplo é a Uber. De acordo com o site da empresa:

“A ideia surgiu em 2009 quando Garett Camp e Travis Kalanick participavam da conferência LeWeb, na França. Após o evento, ao precisarem retornar para o hotel, encontraram dificuldade para encontrar um táxi, outro transporte público e até mesmo um motorista particular. Foi então que pensaram que seria incrível poder, a um toque no celular, contratar o serviço de um motorista particular […] 

Foi assim que surgiu o Uber Black, primeiro produto da empresa.”

Tenha uma boa força de vendas ao se relacionar com os clientes

Na área de serviços, é importante que o profissional de trade não seja apenas um vendedor. É preciso que ele conheça as reais necessidades dos consumidores, saiba o que o shopper está pesquisando e ainda consiga prever as ações dele, de acordo com a forma como o shopper lida durante o atendimento. 

Aqui, é preciso prezar não apenas por um aplicativo que funcione bem ou um restaurante com pratos renomados. O relacionamento com o seu shopper deve ser baseado na qualidade do serviço que você vai oferecer.

Notas finais

Na área de serviços, o que vale é o conjunto da obra, quando pensamos no trade marketing. E é por isso que o atendimento ao cliente, lá no “final” da estratégia, também deve fazer parte do desenvolvimento dela feito pelo backoffice.

Uma estratégia de ação bem montada pelo time de trade marketing da sua empresa, pode fazer o seu negócio se desenvolver de forma mais eficiente e garantir que a marca fique na mente do shopper.

Mas, a gente sabe que gerenciar um time de trade marketing não é fácil. Então, que tal contratar uma agência de trade marketing com experiência para garantir que o serviço seja feito da melhor forma possível? Não deixe de considerar essa possibilidade!

Autor: rafaello
Publicado há 3 anos

mail_outline
Assine a Newsletter e receba conteúdos exclusivos por e-mail

As pessoas também estão lendo...